• sex. mar 1st, 2024
100 hqdefault

Covid-19 e vitamina D: as falhas de estudo que levaram a desinformação – Entre as muitas informações duvidosas  espalhadas durante a pandemia,   é possível que você tenha se deparado com a  sugestão de uso de vitamina D contra a covid Isso porque, conforme o coronavírus  se propaga, outro perigo vem junto,   que é a desinformação sobre como tratar a covid  ou supostas formas de tratar precocemente E muitas vezes as fakes news são criadas a partir  de uma informação verdadeira – mas que depois é   distorcida ou tirada de contexto, por exemplo.

Mas se você tiver alguma dúvida em relação ao Covid 19, pode Consultar um médico através da Telemedicina que uma consulta média pelo celular ou chamada de vídeo, o médico faz todos os procedimentos via telefone, se for necessário fazer algum exame ou indicar medicação é encaminhado as receitas médicas via E-mail e em casos que tenha que ter toque físico no exame mais elaborado o paciente vai até o médico, mas na maioria dos casos a Telemedicina e Consulta Online Resolve bastante.

Resumo da Materia:

Covid-19 e vitamina D: as falhas de estudo que levaram a desinformação

E essas são as mais difíceis de combater Eu sou a Laís Alegretti, da BBC News Brasil  aqui em Londres, e neste vídeo eu vou explicar   que hoje não temos comprovação científica de  que a vitamina D seja eficaz contra a covid E vou falar sobre as falhas que levaram
um estudo sobre esse tema a ser tirado   do ar por uma renomada revista científica.

Primeiro, é importante dizer que criar uma   hipótese de que um tratamento pode ser eficaz e,  depois de estudos sérios, verificar que não é o   caso, faz parte do processo científico normal.

Você conhece o Dr. Fabio Barros? Dr. Fabio Barros é um dos top 7 em todo o Brasil em Harmonização Facial e faz a aplicação de Toxina Botulínica no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O problema é que, hoje em dia, pesquisas em   fases iniciais ou mesmo de baixa qualidade  têm sido compartilhadas fora de contexto E aí, isso pode ser explorado por quem  quer promover teorias da conspiração Então vamos lá: qual é a lógica por trás
do argumento de que a vitamina D poderia   ser útil no tratamento ou prevenção da covid?

A informação científica aqui é que a vitamina   D de fato desempenha um papel  na imunidade do nosso corpo E inclusive alguns países que têm dias  curtos e pouca luz no inverno costumam   recomendar o suplemento nesse período do  ano, como no caso aqui no Reino Unido Mas, pelo menos até hoje, nenhuma pesquisa mostrou  um efeito suficientemente convincente para apoiar   o uso de altas doses de vitamina D  para prevenir ou tratar doenças.

E o que dizem os cientistas sobre a  relação com a covid, especificamente?

Até agora, as conclusões de estudos  associando vitamina D e coronavírus   não são fortes o suficiente.
Muitas pesquisas mostraram uma   associação entre a vitamina D e a covid,  mas a evidência é meramente empírica — o que   significa que outros fatores não estão sendo  controlados e monitorados para se determinar   com precisão uma relação de causa e efeito.

Ou seja, se o que aconteceu com aquele paciente   é uma consequência da vitamina D ou não.  É por isso que as conclusões desse tipo de estudo não são robustas o suficiente.  Seria necessário, por exemplo, um ensaio   clínico conhecido como randomizado, no qual  algumas pessoas recebem tratamento e outras,   placebo, para que os cientistas possam  ter certeza de que o resultado é causado,   de fato, por aquele tratamento.

Os chamados estudos observacionais   mostram que alguns grupos são mais propensos tanto  a ter deficiências de vitamina D quanto a pegar   covid — em geral, pessoas mais velhas, pessoas  com obesidade e pessoas com pele mais escura Pode ser que a deficiência de vitamina D seja o  motivo pelo qual esses grupos correm maior risco,   ou pode haver outros fatores de saúde e  ambientais que levam à queda nos níveis   de vitamina D e maior suscetibilidade ao vírus.

Outro ponto é que os níveis da vitamina também   podem cair como consequência da  doença, em vez de serem causa Assim, os cientistas só serão capazes de analisar  a vitamina D como causa realizando testes   controlados randomizados conduzidos adequadamente,  como em uma pesquisa que está em andamento hoje na   Universidade Queen Mary’s, no Reino Unido.

E qual é a história do artigo que foi muito   compartilhado e agora está sendo investigado?

Um estudo da Universidade de Barcelona, na   Espanha, chamou atenção ao sugerir que a vitamina D  teria um sucesso impressionante, com uma redução   de 80% nas admissões em terapia intensiva  e uma redução de 60% nas mortes de covid O resultado foi muito compartilhado, mas  o estudo virou alvo de críticas porque não   seguiu métodos robustos o suficiente
para apontar para essas conclusões

O artigo foi retirado do ar por  “preocupações sobre a descrição da pesquisa” A revista científica The Lancet,  que o publicou originalmente,   está agora conduzindo uma investigação sobre ele No estudo, a vitamina D foi administrada  a todos os pacientes em enfermarias,   em vez de aleatoriamente para indivíduos, como  deveria ter sido feito em uma pesquisa rigorosa E os pacientes de covid estudados que morreram já tinham níveis radicalmente   diferentes da vitamina antes do tratamento,
sugerindo que eles estavam mais gravemente   doentes antes mesmo de tomar a vitamina.

A anestesiologista e médica de cuidados   intensivos Aurora Baluja, que revisou o estudo  de Barcelona para a Lancet, disse que o tipo de   efeito “extremo” relatado no artigo “nunca foi  encontrado” em um ensaio clínico randomizado Ela disse que, embora a deficiência de vitamina D  fosse um “fator de risco bem estabelecido” entre   as pessoas que morrem na terapia intensiva,
“a suplementação de vitamina D sozinha sempre   falhou em reduzir o risco desses pacientes”.

Baluja explica que a deficiência é frequentemente   causada por algo muito mais profundo,  como desnutrição ou insuficiência renal Assim, não seria a deficiência de vitamina D  que estaria causando a morte dos pacientes Ainda assim, a ideia de que a vitamina D
pode ser um tratamento eficaz   contra a covid-19 ganhou inúmeros adeptos.  No Brasil, a vitamina D é uma coadjuvante   do kit covid, que contém medicamentos sem  eficácia comprovada ou já comprovadamente   ineficazes para a covid-19, como
ivermectina e hidroxicloroquina

Kit de Jair Bolsonaro como um tratamento precoce contra Covid

Esse conjunto é defendido pelo presidente  Jair Bolsonaro como um tratamento precoce,   mas, na verdade, contribui para aumentar
o número de mortes de pacientes graves,   segundo disseram à BBC News Brasil diretores  de UTI de hospitais brasileiros de referência O grande perigo das informações falsas  sobre a vitamina D é exatamente quando   ela é retratada como uma cura milagrosa e como uma  alternativa a medidas com comprovação científica   para combater a pandemia, como vacinação,
uso de máscaras e distanciamento social E todo esse movimento de acreditar numa  cura milagrosa tem explicação psicológica O professor Sander Van der Linden, psicólogo  social da Universidade de Cambridge,   diz que quando informações se encaixam na visão de  mundo das pessoas — por exemplo, que “as coisas da   natureza não podem fazer mal” —, a probabilidade
de serem compartilhadas tende a ser maior.

E aí, misturam-se desde grupos que defendem  o uso exclusivo de medicamentos naturais e   medicina alternativa até outros que são  ideologicamente contra a vacinação E algumas vezes esses grupos distintos  acabam se unindo em torno de uma ideia   que se encaixa em ambas crenças.

Então é isso: as informações sobre   a vitamina D podem não parecer as mais  nocivas que circulam na internet, porque   a vitamina D é relativamente segura, embora  altas doses possam causar cálculos renais Mas o perigo principal mora nessas ideias  aparentemente milagrosas que vêm junto – seja   de um tratamento que, segundo a ciência, não  é eficaz, seja abrindo mão de medidas de fato   eficazes, como o distanciamento social,  o uso de boas máscaras e a vacinação Espero que este vídeo tenha sido útil.

4.8/5 - (284 votes)